segunda-feira, 28 de maio de 2012

A LECTIO DIVINA

A prática cristã ancestral de Oração Centrante tem suas raízes e é alimentada pela oração de escuta da palavra de Deus na Sagrada Escritura,
especialmente nos Evangelhos e Salmos, chamada Lectio Divina, ou Leitura Divina. Tire algum tempo diariamente para ouvir a Deus e responder à sua palavra. De preferência um período diário de 30 minutos é desejável. Se não puder, faça 5, 10 minutos, o que lhe for possível. Mas não deixe de ouvir ao Senhor diariamente.
(O Concílio Vaticano II, em seu decreto Dei Verbum 25, ratificou e promoveu com todo o peso de sua autoridade, a restauração da "Lectio Divina", que teve um período de esquecimento por vários séculos na Igreja. O Concílio exorta igualmente, com ardor e insistência, a todos os fiéis cristãos, especialmente aos religiosos, que, pela frequente leitura das divinas Escrituras, alcancem esse bem supremo: o conhecimento de Jesus Cristo (Fl 3,8). Porquanto "ignorar as Escrituras é ignorar Cristo" (São Jerônimo, Comm. in Is., prol.).)
"Lectio Divina" - (Bíblia Sagrada, - basicamente os Salmos e Evangelhos - é a mais indicada para a Lectio Divina).
PASSOS:

1. Leitura: Lectio (O que o texto diz?)
Aquiete o corpo e a mente. Escolha um texto... preferivelmente curto.... leia-o lentamente, ouvindo interiormente, com toda atenção ao mesmo. Personalize as palavras como se Deus as dissesse para você, agora.
2. Meditação. (O que o texto me diz?)
Responda, como se recebesse a leitura num nível mais profundo. Movimente-se nesse texto na fé, como se morasse nele, com a imaginação e o intelecto. Deixe o texto agir em você.
3. Oração (O que o texto me faz dizer a Deus?)
Agora não se trata de "fazer algo" mas acontece um movimento espontâneo do coração em resposta ao Espírito que conduz. Na oração , o coração assume o controle, sente saudades e clama por Deus.
4. Contemplação (Deixar-se conduzir pelo Espírito)
Nas três outras fases a atividade foi um fator dominante. Ao nos movermos mais profundamente na relação com Deus, Deus assume o controle mais e mais, ao fechar nossas faculdades naturais da razão e imaginação. Experimentamos uma espécie de secura da devoção e do sentimento, uma inabilidade de meditar como antes. Somos conduzidos a uma oração solitária, atenta e amorosa mas obscura, como uma "atenção passiva".
Acolha, sem colocar nenhum obstáculo ao movimento do Espírito. Siga a atração para o silêncio interior e permaneça em atenção amorosa, deixando-se conduzir a essa "escuridão" do amor de Deus. Contemplação é uma nova terra onde tudo antes natural para nós parece ter se virado de cabeça para baixo. Aprendemos uma nova língua..... silêncio.... e uma nova maneira de ser.... não fazer, mas simplesmente ser.... e compreender a aparente ausência de Deus como Presença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário