domingo, 21 de abril de 2013

O BOM PASTOR



Este fragmento de um sarcófago do séc. III ilustra a bela oração da "Ovelha Perdida", do mesmo período:

«Vem, Senhor Jesus, vem buscar o teu servo, 
vem procurar a ovelhinha cansada, 
vem, pastor […]. 
Vem se necessitar de ajuda, sem se fazer anunciar; 
faz muito tempo que espera tua vinda. 
Sei que virás, porque “não esqueci tua vontade”. 
Vem sem bastão, mas só com teu amor e o teu espírito de doçura. 
Não hesites em deixar sobre os montes as tuas noventa e nove ovelhas, porque aquelas que estão sobre os montes 
não podem ser atacadas pelos lobos ferozes; 
no paraíso, a serpente pode machucar somente uma vez […]. 
Vem até mim, 
que sou assediado pelos ataques dos perigosos lobos. 
Vem até mim que, expulso do paraíso, 
estou ferido de mordidas e venenos da serpente,
e me perdi longe de teu rebanho, que está lá em cima. 
Também me tinhas colocado lá em cima, 
mas os lobos da noite me afastaram do redil. 
Vem procurar-me, porque eu te procuro; 
encontra-me, toma-me e leva-me […]. 
Vem, pois buscar a tua ovelha, 
não mandes os teus servos, 
não envies teus mercenários; 
vem tu mesmo […]! 
Toma-me nesta carne que é caída em Adão […]. 
Leva-me sobre a tua cruz, 
que é a salvação dos errantes, 
o único repouso dos fatigados, 
pela qual todos os que morrem viverão» 
Oração de Sto Ambrósio
Origem:  www.livroquadrado.blogspot.com
Vem, Senhor Jesus, vem buscar o teu servo, 
vem procurar a ovelhinha cansada,
vem, pastor […].
Vem se necessitar de ajuda, sem se fazer anunciar;
faz muito tempo que espera tua vinda.
Sei que virás, porque “não esqueci tua vontade”.
Vem sem bastão, mas só com teu amor e o teu espírito de doçura.
Não hesites em deixar sobre os montes as tuas noventa e nove ovelhas, porque aquelas que estão sobre os montes
não podem ser atacadas pelos lobos ferozes;
no paraíso, a serpente pode machucar somente uma vez […].
Vem até mim,
que sou assediado pelos ataques dos perigosos lobos.
Vem até mim que, expulso do paraíso,
estou ferido de mordidas e venenos da serpente,
e me perdi longe de teu rebanho, que está lá em cima.
Também me tinhas colocado lá em cima,
mas os lobos da noite me afastaram do redil.
Vem procurar-me, porque eu te procuro;
encontra-me, toma-me e leva-me […].
Vem, pois buscar a tua ovelha,
não mandes os teus servos,
não envies teus mercenários;
vem tu mesmo […]!
Toma-me nesta carne que é caída em Adão […].
Leva-me sobre a tua cruz,
que é a salvação dos errantes,
o único repouso dos fatigados,
pela qual todos os que morrem viverão» 

Oração de Sto Ambrósio

Nenhum comentário:

Postar um comentário